Acadêmico
 
REGINALDO MIRANDA da Silva - Cadeira 27
Fonte: Assessoria | Publicado em: 20/01/2010  
 

Advogado, historiador e ficcionista. Nasceu em 17 de agosto de 1964, na cidade de Bertolínia(PI), filho de Abdon Rodrigues da Silva e Eunice de Miranda e Silva.

 Iniciou as primeiras letras em sua cidade natal, mudando-se para Teresina, Capital do Estado, em 27 de fevereiro de 1978, a fim de prosseguir nos estudos, onde cursou e concluiu os ensinos fundamental e secundário. Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Piauí(1988). Fez curso de Preparação à Magistratura(ESMEPI/1989), de Especialização em Direito Constitucional(UFPI/1998) e em Direito Processual(UFPI/2002). Ocupa o cargo de Assessor Legislativo na Assembléia Legislativa do Estado, foi Assistente de Liderança do Governo(1988) e chefe da Assessoria Jurídica do EMATER-PI, por vários anos. Advogado militante, presta assessoria jurídica a diversos sindicatos, municípios e empresas privadas.

Na atividade política, foi Líder Estudantil na UFPI, tendo ocupado os cargos de secretário de finanças do Centro Acadêmico de Direito e representante estudantil junto ao Conselho do Departamento de Ciências Jurídicas, além de Vice-Prefeito Municipal de Bertolínia(1993-1997). Foi, também, membro do Conselho do Memorial das Nações Indígenas e do Conselho Universitário da UESPI.

Escritor de mérito reconhecido, Reginaldo Miranda pertence a diversas instituições culturais, entre estas: União Brasileira de Escritores do Piauí, Academia de Letras do Médio - Parnaíba, com sede em Amarante(PI), cadeira n.º 04 e Academia Piauiense de Letras, Cadeira n.º 27. Em 19 de dezembro de 2009, foi eleito para a presidência dessa última instituição cultural, sendo reeleito em 17 de dezembro de 2011, para mais um biênio. Durante essa profícua gestão, promoveu palestras e debates, comemorou efemérides literárias, editou livros, lançou a Coleção Centenário, visando comemorar o primeiro século de fundação do sodalício, reativou o informativo Notícias Acadêmicas e atualizou a Revista da Academia, que andava bastante desatualizada, promovendo seis edições somente no primeiro biênio.

Em face de sua intensa atividade cultural, recebeu importantes prêmios e distinções, entre os quais: cidadania honorária do Município de Regeneração, por outorga da Câmara Municipal; comenda “Cacique Bruenque”, da Prefeitura Municipal de Regeneração; comenda da Ordem Estadual do Mérito Renascença do Piauí, no grau Comendador, concedida pelo Governo do Piauí(24.01.2011); Medalha do Mérito Cultural Arimatéa Tito Filho, da Academia de Letras do Vale do Longá; e, Troféu Oscar do Piauí, concedido pelo jornalista Miro Filho.

Em virtude de estudo ou lazer tem viajado por quase todos os Estado do Brasil, pela América do Sul (Uruguai, Argentina e Chile) e pela Europa (Portugal, França e Inglaterra).

É autor de diversos e importantes livros, onde estuda a formação social do Brasil, notadamente a colonização do Piauí, o massacre das nações indígenas, a formação dos primeiros currais, o nascimento das primeiras vilas e cidades, a gênese das primeiras famílias e a biografia de destacados vultos. Publicou: Bertolínia: História, Meio e Homens(1983), Aldeamento dos Acoroás (2003), Piauí em Foco(2003),Ajudante Félix do Rego (2004), Do arco da velha (2004), Ouvidor Moraes Durão (2004), A contribuição dos aldeamentos indígenas (2004), São Gonçalo da Regeneração – marchas e contramarchas de uma comunidade sertaneja: da aldeia indígena aos tempos atuais (2004), São João de Sende(2005), A ferro e fogo – vida e morte de uma nação indígena no sertão do Piauí (2005), Governos da Capitania do Piauí(Revista da APL, 2004, 2005 e 2007), Autos de devassa da morte dos índios Gueguês(2011) e Notícias do Piauhy(2011). Colaborou na atualização do livro Dados Genealógicos da Família Rocha (2001), de cuja família descende em linha direta.


Ainda no campo intelectual, Reginaldo Miranda destaca-se como colaborador assíduo dos principais veículos da imprensa, publicando dezenas de ensaios e artigos, entre outros, nos jornais Libertas, do Centro Acadêmico de Direito(UFPI), O Dia, Meio Norte, Diário do Povo e Notícias Acadêmicas, todos de Teresina; Revista Presença, da Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Piauí; Revista da Academia Piauiense de Letras; revista Cenário, de Teresina; e em publicações de circulação nacional, a exemplo da Revista de História da Biblioteca Nacional. Em 1993, fundou o jornal Tribuna do Gurguéia, que circulou por pouco tempo.
 



Outros Acadêmicos

Voltar | Página principal

 


APL - Academia Piauiense de Letras - Copyright 2009 © - Política de Privacidade
Av. Miguel Rosa, 3300/Sul Centro - CEP: 64000-000 - Teresina - Piauí - Fone: (86) 3216-1723